fbpx

Cursos

Curso Dry Needling (Agulhamento A Seco) – Brasília/DF

Visão Geral

Pessoas com dores musculares causadas por tensão ou má postura apresentam frequentemente pontos gatilhos (trigger points), nódulos formados pela contração dos músculos com pouca irrigação sanguínea. Dominar o Dry Needling garante alívio imediato aos pacientes.

No curso, o profissional se torna capacitado para aplicar a técnica em todas as partes do corpo,  mas também aprende a chave para que o tratamento seja efetivo, que é identificar esses pontos corretamente e agir diretamente no alvo.

O Dry Needling ou agulhamento a seco usa agulhas semelhantes às da acupuntura para devolver a irrigação ao músculo e promove o relaxamento muscular, eliminando a dor.

OBJETIVO: Apresentar ao aluno conhecimentos, morfo-funcionais, fisiológicos, biomecânicos e cinesioterápicos, segundo a abordagem terapêutica, com agulha de acupuntura no tratamento de pontos-gatilho, que lhes permitam enriquecer o seu poder de decisão terapêutica e modificação do comportamento cinético de um ou mais tecidos moles, periarticulares e suas estrutura adjacentes.

Conteúdo Programático:

Unidade I – Introdução

Unidade II – Histórico
2.1. Primeiros estudos
2.2. Janet Travell
2.3. Bonnie Pruden

Unidade III – Trigger Point (Ponto-Gatilho)
3.1. Definição
3.2. Trigger Point (Ponto-Gatilho) Miofascial Central
3.3. Trigger Point (Ponto-Gatilho) Miofascial de Inserção
3.4. Trigger Point (Ponto-Gatilho) Miofascial Ativo
3.5. Trigger Point (Ponto-Gatilho) Miofascial Latente
3.6. Trigger Point (Ponto-Gatilho) Miofascial Primário ou Principal
3.7. Trigger Point (Ponto-Gatilho) Miofascial Satélite
3.8. Trigger Point (Ponto-Gatilho) Não-miofascial
3.9. Tender Point (Ponto Sensível)

Unidade IV – Contração Muscular
4.1. Morfologia
4.2. Fisiologia

Unidade V – Fisiopatologia
5.1. Teoria da Crise de Energia
5.2. Teoria Neuropática
5.3. Teoria co Ciclo Dor-Espasmo-Dor
5.4. Teoria do Tecido Cicatricial Fibrótico

Unidade VI – Técnicas de Desativação de Pontos-Gatilho
6.1. Injeção do Ponto-Gatilho
6.2. Spray e Alongamento
6.3. Eletroterapia
6.4. Contração Voluntária
6.5. Técnicas Indiretas – Jones e PRT
6.6. Fricção Transversa
6.7. Deslizamento Miofascial Profundo
6.8. Liberação por Pressão

Unidade VII – Indicações
7.1. Síndrome Dolorosa Miofascial
7.2. Cefaléias

7.3. DTMs
7.4. Mialgias primárias e secundárias

7.5. Fibromialgia
7.6. Performance Esportiva

Unidade VIII – Contra Indicações
8.1. Processo inflamatório agudo
8.2. Ulcerações cutâneas
8.3. Lesões músculo-tendíneas totais
8.4. Fraturas

Unidade IX – Fases do Tratamento
9.1. Mapeamento de superfície
9.2. Busca exploratória
9.3. Liberação por Pressão
9.4. Liberação com Agulha

Unidade X – Aplicação da Técnica de Compressão
10.1. Crânio
10.2. Face
10.3. Pescoço
10.4. Trapézio
10.5. Ombros
10.6. Escápula
10.7. Dorso
10.8. Lombar e pelve
10.9. Tórax anterior
10.10. Abdome
10.11. Pelve anterior
10.12. Membros superiores
10.13. Membros inferiores

Unidade XI – Administração do tratamento

Unidade XII – Considerações Gerais
12.1. Biomecânica Ocupacional
12.2. Dinâmica Funcional
12.3. Ergonomia das atividades de vida diária
12.4. Ergonomia do posto de trabalho
12.5. Prevenção e Profilaxia

Ministrante

Paulo Henrique dos Santos Moraes

Paulo Henrique é fisioterapeuta e educador físico. Ministra cursos e atende nas clínicas EMED e SISMED. É pós-graduado em acupuntura e Cinesiologia, sendo também o criador do método de formação GUA SHA Brasil.

Crefito-12: 101908 F – Cref: 001753-G/PA

Detalhes

Carga Horária

BF_CARGA-HORARIA

30h

Público Alvo

BF_Publico

Fisioterapia, Terapia Ocupacional, acupunturista, Educação Fisica e Massoterapia

Informações

BF_Info

Certificado

Emitido pela BrasiliaFisio
 

Agenda

13 de agosto - 15 de fevereiro

De sexta-feira a segunda-feira
08h às 18h
Hotel de Trânsito de Oficiais - (HTO) – Setor Militar Urbano (SMU) - Sala Piano`s Bar.

Remodal